Sugestão de leitura - Antropologia

Organizada por Cácio Silva, Marcelo Carvalho e Ronaldo Lidório

 

ANTROPOLOGIA GERAL
Clássicos
ELIADE, Mircea. História das crenças e das idéias religiosas. Rio de
Janeiro: Zahar, 1983.
Faz uma ampla comparação entre o pensamento religioso em diversos padrões
culturais. É um livro de exposição mais histórica a respeito da
religiosidade mas com ótima análise de seus valores e crenças.
------. Imagens e símbolos: Ensaio sobre o simbolismo mágico-religioso. São
Paulo: Martins Fontes, 2002. 178p.
Aborda o pensamento simbólico como parte inerente do ser humano, envolvendo
mitos como uma necessidade do psiquismo. É uma leitura que aguça a intuição
para pesquisa de campo.
------. O sagrado e o profano: A essência das religiões. São Paulo: Martins
Fontes, 2001. 180p.
Este é um livro fundamental para o estudo do tema. Transmite os conceitos
de sagrado e profano tanto na cultura, pensamento humano quanto no ambiente.
Sua leitura irá não apenas aumentar o conhecimento quanto ajuda-lo a
identificar as nuances da atividades religiosas durante sua pesquisa.
------. Ritos de iniciação e sociedades secretas. Lisboa: Esquilo, 2004.
Esse livro aborda, como o próprio título propõe os ritos de iniciação com
suas facetas, ajudando-nos a compreender melhor a sua dinâmica, sua relação
com o mundo religioso e com as sociedades secretas. E aqui o ponto
importante para nós é que a iniciação está intimamente ligada ao momento em
que os jovens são introduzidos na história sagrada do mundo e da humanidade
e nas tradições mitológicas. Um livro básico para compreender tais ritos.
EVANS-PRITCHARD, Edward Evan. Antropologia Social. Lisboa: Edições 70, 1985.
132p.
O conteúdo é a própria antropologia, envolvendo sua história, seus
objetivos, métodos, trabalho de campo, pesquisas de exploradores,
missionários e funcionários coloniais. Muito útil para dar uma visão geral
da pesquisa em si.
------. Bruxaria, oráculos e magia entre os Azande. Rio de Janeiro: Jorge
Zahar, 2005. 256p.
Etnografia que se tornou modelo em termos de trabalho de campo, resultado de
pesquisa realizada na década de 1920 no Sudão entre os Azande. Seu fogo é a
religiosidade e trabalha bastante com a categorização de poderes
sócio-religiosos (bruxo, oráculo e mago) e suas representações simbólicas.
LÉVI-STRAUSS, Claude. Mito e significado. Lisboa: Edições 70, 2000.
Uma leitura mais pesada a respeito do assunto, com base no
conceito da simbologia. Uma grande ajuda para a compreensão do mito e mitema
como valores históricos e culturais, e suas implicações para a organização
social e religiosa do povo.
------. As estruturas elementares do parentesco: O intercâmbio restritivo.
Petrópolis: Vozes, 2003. 538p
Uma dos principais clássicos da antropologia estruturalista,
trazendo a teoria geral dos sistemas de parentesco, abordando assuntos como
incesto, troca e reciprocidade, endogamia e exogamia, dualismo e casamento
de primos, com abundantes estudos de caso.
------. O pensamento selvagem. São Paulo: Papirus, 2007. 320p.
Obra fundamental de Lévi-Strauss sobre a etnologia tradicional,
expondo, dentro outros, assuntos como totemismo e sistemas de transformação.
MALINOWSKI, Bronislaw. Magia, ciência e religião. Lisboa: Edições 70, 1988.
272p.

Três ensaios do autor abordando a religiosidade em si, ao trabalhar com magia,

ciência e religião (ou espiritualismo); o mito e suas funções na vida e psicologia

do homem tradicional; e uma etnografia dos nativos de Kiriwina (Ilhas Trobriand),

abordando especialmente a questão da morte e pós-morte.

RADCLIFFE-BROWN, Alfred Reginald. Estrutura e função na sociedade primitiva.
Lisboa: Edições 70, 1989.
Uma leitura obrigatória para quem deseja e precisa compreender a
funcionalidade social. Este livro demonstra que cada sociedade se organiza
com base em valores os quais, a posteriori, geram funções. Tais funções são
utilitárias e possuem significado comunitário e cultural. Uma ótima leitura
para a compreensão da organização social comunitária.
Contemporâneos
GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1989.
324p.
Abordando especificamente a cultura, numa tentativa de redefini-la, Geertz
lança os alicerces do que hoje tem sido chamada de antropologia
interpretativista ou hermenêutica.
-------. Nova luz sobre a antropologia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.
248p.
São abordadas questões como religião, psicologia e identidade, além
de questões mais genéricas como filosofia política, pais e nação.
HOEBEL, E. Adamson & FROST, Everett L. Antropologia cultural e social. São
Paulo: Cultrix, 1995. 470p.
Especialmente as partes 3 (Organização Social) e 4 (Expressão Simbólica).
Também bastante didático. Só que esgotado, achando apenas em sebo.
LABURTHE-TOLRA, Philippe e WARNIER, Jean-Pierre. Etnologia, antropologia.
Petrópolis: Vozes, 2003. 469p.
Especialmente as partes 2 (Relações Sociais), 3 (Função Simbólica) e 5
(Pesquisa). Além de excelente conteúdo, é muito didático, apresenta
sugestões de leitura no final de cada parte e ótimas dicas sobre pesquisa de
campo na Parte 5.
MELATTI, Julio Cezar. Índios do Brasil. São Paulo: Edusp, 2007. 304p.
Livro introdutório e fundamental para ter uma compreensão geral do universo
indígena brasileiro. O autor fez escreveu novos capítulos e atualizou
diversos dados nessa nova edição.
ANTROPOLOGIA MISSIONÁRIA
BURNS, Barbara Helen (org.). Contextualização: A fiel comunicação do
Evangelho. Anápolis: Transcultural, 2007. 208p.
Um ótimo livro com abordagem bíblica, teológica e missionária
sobre o tema Contextualização. Leitura obrigatória para quem estuda as
diferentes abordagens e critérios para o partilhar do evangelho em contexto
intercultural ou transcultural.
HIEBERT, Paul G. O evangelho e a diversidade das culturas: Um guia de
antropologia missionária. São Paulo: Vida Nova, 2001. 307p.
Certamente o livro de antropologia missionária com melhor aplicabilidade que
temos em português, trata não apenas da cultura mas também da pessoa do
missionário. Porém, não ajuda muito em pesquisa de campo.
KÄSER, Lothar. Diferentes culturas: Uma introdução à etnologia. Londrina:
Descoberta, 2004. 310p.
Trabalha com os principais pontos da etnologia clássica e também boas dias
de pesquisa de campo. Só que não ajuda muito na aplicabilidade missionária.

LIDÓRIO, Ronaldo. Antropologia missionária. São Paulo: Instituto Antropos, 2008.

287p.

Expõe uma metodologia desenvolvida para análise sociocultural  a partir

de ferramentas etnográficas, etnológicas e fenomenológicas. Utiliza a antropologia

como um mecanimsmo facilitador para a comunicação do evangelho em contexto

intercultural.

 

------- (org). Indígenas do Brasil. Viçosa: Editora Ultimato, 2006. 272p.

 

Este livro expõe uma parcela do pensamento evangélico brasileiro em relação à sociedade

indígena nacional e convida-o a avaliar nossa história com Igreja.  É escrito por 17 autores

profundamente envolvidos com as iniciativas entre os indígenas em nosso país. Uma contribuição

valiosa para aqueles que desejam conhecer mais de perto este diverso e complexo universo.

 

 

SILVA, Cácio. Fenomenologia da Religião - Compreendendo as idéias religiosas

a partir de suas manifestações. Anápolis: Editora Transcultural. 176p.

 

Este é o primeiro livro evangélico de fenomenologia em língua portuguesa,

apresentando a fenomenologia como área da antropologia aplicada ao estudo

da religisão. Visa a compreensão dos reais significados religiosos, para uma eficaz

comunicação do evangelho.

 

SOUZA, Isaac & LIDÓRIO, Ronaldo (org). A questão indígena - Uma luta desigual.

Viçosa: Editora Ultimato, 2008. 240p.

 

este livro se propõe a tratar da questão como desafio social, acadêmico e espiritual.

Lida com assuntos como questões culturais conflitantes, alcoolismo, a prática

do infanticídio, a identidade  indígena e suas carências, direito e esperanças.

Um conjunto escrito por 12 diferentes autores, com uma alinhada reflexão sobre

as questões indígenas mais inquietantes.

 

 

SOUZA, Isaac Costa. De todas as tribos: A missão da igreja e a questão

indígena. Viçosa: Ultimato, 2003.
Uma coleção de 16 artigos abordando assuntos diversos, mas todos
relacionados ao trabalho missionários entre indígenas do Brasil, como
identidade indígena, teologia da missão, questão políticas, acadêmicas,
treinamento e grupos minoritários.
ETNOLOGIA DO ALTO RIO NEGRO
Universo Tukano
LANA, Luis (Tolamã Kenhíri) & KUM, Umúsin Panlõn. Antes o Mundo não existia. Editora Cultura, 1978.

Possivelmente o primeiro livro escrito inteiramente por um indígena brilhante, que após retornar do i

nternato de Pari-Cachoeira decidiu escrever todo o conhecimento mitológico que seu pai possuia.

Introdução de Berta Ribeiro.

LASMAR, Cristiane. De volta ao lago de leite: Gênero e transformação no Alto
Rio Negro. São Paulo: UNESP/ISA, 2005. 285p.
Apesar de tratar mais especificamente de mulheres Tukano na cidade de São
Gabriel, apresenta uma excelente introdução ao universo Tukano em geral. E
interessante é que a autora preza por uma antropologia da realidade atual e
não histórica do povo.
RIBEIRO, Berta. Os índios das águas pretas. Companhia das letras, 1995.

Trata sobre a cultura material dos povos do Alto Rio Negro, com ênfase nos Dessano e mostra como

há uma relação de interdependência devido as especializações de tais produtos, promovendo uma

grande rede de relações. Um livro muito bom para se ter uma visão da região.

Universo Aruak
GARNELO, Luiza. Poder, hierarquia e reciprocidade: Saúde e harmonia entre os
Baniwa do Alto Rio Negro. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2003.260p.
Interessante por tratar a questão da doença e cura, envolvendo
mitologia, cosmologia, politização e relações de poder.
WRIGHT, Robin M. História indígena e do indigenismo no Alto Rio Negro. São
Paulo: Mercado das Letras/ISA, 2005. 319p.
Trata-se de uma coletânea de textos publicados nas últimas três décadas pelo
autor, que desenvolve pesquisa entre povos Aruak desde 1976. Apesar de um
texto mais histórico, traz uma excelente introdução ao universo Aruak.
Universo "Maku"
POZZOBON, Jorge. Isolamento e endogamia: Observações sobre a organização
social dos índios Maku. Porto Alegre: UFRS, 1993.
Dissertação de mestrado não publicada. É uma análise sociológica da
endogamia "Maku", apresentando, porém, um panorama geral desses povos. Pode
ser solicitada na biblioteca da Universidade Federal do Rio Grande do Sul ou
fotocopiada com o Cácio.
Ver também o link Maku, na enciclopédia eletrônica do ISA:
<http://www.socioambiental.org/pib/epi/maku_161002/demog.shtm>
http://www.socioambiental.org/pib/epi/maku_161002/demog.shtm.
RAMOS, Alcida Rita. Hierarquia e simbiose: Relações intertribais no Brasil.
São Paulo: HUCITEC, 1977. 246p.
Especificamente o capítulo 4, onde faz uma análise comparativa dos "índios
da floresta" ("Maku") e "índios do rio" (Tukano).
SILVERWOOD-COPE, Peter Lachlan. Os Maku: Povo caçador do noroeste da
Amazônia. Brasília: UnB, 1990. 205p.
Primeira pesquisa acadêmica realizada em grupo "Maku" na década de 1970.
Refere-se especificamente aos Bara (hoje conhecidos como Kákua) da Colômbia,
mas introduz o universo Maku de modo geral.
Universo Yanomami
RAMOS, Alcida Rita. Hierarquia e simbiose: Relações intertribais no Brasil.
São Paulo: HUCITEC, 1977. 246p.
Especificamente os capítulos 1 a 3, onde faz uma análise comparativa dos
Yanomami-Sanumá e os Maiongong (da família Caribe).
LINGÜÍSTICA GERAL
LOPES, Edward. Fundamentos da lingüística contemporânea. São Paulo: Cultrix,
2003. 395p.
Apresenta uma visão geral da lingüística, passando pela fonética, fonologia,
morfologia, gramática e semântica.
MARTINET, Andre. Elementos de lingüística geral. São Paulo: Martins Fontes,
1978. 223p.
Didático e com linguagem acessível, apresenta os principais conceitos e
teorias da lingüística contemporânea, passando então a discorrer sobre os
estudos da fonética e da fonologia, morfologia, modalidades de gramática e
semântica.
RODRIGUES, Aryon Dall'Igna. Línguas brasileiras: Para o conhecimento das
línguas indígenas. São Paulo: Loyola, 1994. 134p.
Indispensável para quem vai trabalhar com línguas indígenas, pois é fonte
primária na classificação dos troncos e famílias lingüísticas indígenas do
Brasil, dando uma visão do todo.
FERRAMENTAS DE PESQUISA E COMPRA ON-LINE
<http://www.scielo.br/> www.scielo.br: É uma base de pesquisa onde se tem
acesso aos principais periódicos acadêmicos do Brasil, nas mais diversas
áreas de conhecimento, com seus artigos disponibilizados na íntegra.
<http://books.google.com/> http://books.google.com: Ferramenta do Google
para pesquisa de livros.
<http://scholar.google.com/> http://scholar.google.com: Ferramenta do
Google para pesquisa textos acadêmicos como artigos, dissertações e teses.
<http://www.estantevirtual.com.br/> www.estantevirtual.com.br: É um sistema
integrado de sebos, onde se pode localizar e comprar livros usados em mais
de 700 sebos espalhados em todo o Brasil.
<http://www.livrariacultura.com.br/> www.livrariacultura.com.br: E se
preferir adquirir livros novos, acesse a Livraria Cultura.
ANEXOS - Etnografia:
GOLDMAN, Marcio. Os tambores dos mortos e os tambores dos vivos: Etnografia,
antropologia e política em Ilhéus, Bahia. Revista de Antropologia, 2003,
vol.46, no.2, p.423-444.
Além de abordar a etnografia em si, trata da questão da
observação e relação observador-observado, questionando certas falácias da
pesquisa de campo.
LIMA, Cristina Maria Garcia de, DUPAS, Giselle, OLIVEIRA, Irma de et al.
Pesquisa etnográfica: Iniciando sua compreensão. Revista Latino-Americana de
Enfermagem, jan. 1996, vol.4, no.1, p.21-30.
Apesar de não escrito por antropólogos e aplicado ao trabalho de
saúde, apresenta uma interessante introdução e visão geral da etnografia e
seus métodos.

Igrejas Emergentes

Igrejas...

Personalizado

Personalizado...